quinta-feira, novembro 17, 2005

O polvo não sabe o destino que o aguarda...

Lá está ele, e lá está você. Ele sente a tensão. Você o medo expectante dele. A eternidade gelada dura apenas um segundo. Os olhares cruzam-se. Eses olhos... eses olhos malvados e asustados. O momento passa. Já passou. O polvo fuge e você fica com um sabor estranho na boca. Um sabor a cerveja e polvo à feira, como se estivesse num bar numa vila qualquer. Mas a oportunidade fugiu também e não há voltar.

Etiquetas:

|

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

adopta tu também uma mascote virtual!